sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Sarah MacLean - Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter (Os Números do Amor #2)



Ficha técnica: Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter (Ten Ways to be Adored When Landing a Lord)
Autora: Sarah MacLean
Editora Arqueiro
Lançamento original: 2010
Lançamento BR: 2016
325 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de época; Chick Lit

Protagonistas: Lady Isabel Towsend e Lord Nicholas Raphael Dorian St. John
Local/ano: Yorkshire; Londres/1823

"Isabel Townsend não é exatamente o que se espera da filha de um conde. Apesar de ter a pele delicada e de saber se portar como uma dama quando necessário, a jovem também monta a cavalo, conserta telhados, administra a propriedade e cria o irmão caçula desde que a mãe faleceu – tudo isso sem despertar a menor suspeita de que não há um homem sequer para cuidar de sua família.

Para o pai dela, que só queria se divertir e gastar dinheiro em jogatinas, pouco importava o que ela fizesse. Porém, quando ele morre, Isabel se vê sem recursos e precisa defender os direitos do irmão, ameaçados pela chegada iminente de um tutor. Assim, não lhe resta saída senão vender sua coleção de estátuas de mármore, o único bem que herdou.

Para sorte sua, um especialista em antiguidades acaba de chegar ao condado. Inteligente e sensual, lorde Nicholas St. John é um solteiro convicto que deixou Londres para se livrar das jovens que passaram a persegui-lo desde que foi eleito um dos melhores partidos da cidade.

Em poucos dias, fica claro para Nick que Isabel é a mulher mais obstinada e misteriosa – além da mais interessante – que já cruzou seu caminho. Ao mesmo tempo, ao conhecê-lo melhor, a independente Isabel percebe que há homens em que vale a pena confiar. Enquanto eles põem de lado suas antigas convicções, seus corações se abrem para dar uma chance ao amor."



Continuação da série > livro #1 >> Resenha

Era a sétima vez!
Sim, novamente o pai de Lady Isabel havia enviado à sua casa, em Yorkshire, um homem desconhecido anunciando um noivado. Tudo porque o pai dela, o Conde Perdulário, vivia apostando o que não tinha, e isso incluía sua filha de 24 anos.
Diferente de outras meninas que aceitariam a decisão do pai, Isabel bota qualquer um para correr. Ela e sua equipe da Casa de Minerva.

Mas ela começa a pensar que talvez, só talvez, um casamento pudesse ajudar.

Há vários anos, Isabel era quem cuidava de si mesma e de seu irmão mais novo, James.
Quando o pai desistiu da família, foi para Londres e passou a gastar o parco lucro que a propriedade ainda dava, sua esposa caiu doente de saudade. E pior, culpou Isabel pelo fato porque já naquela época as finanças não iam bem e o pai achava que Isabel teria que tirá-los daquela situação fazendo um casamento vantajoso. A menina bateu pé firme que não, e o pai simplesmente evaporou.
A mãe adoeceu e se deixou morrer.

Com o tempo, ainda bem jovem, Isabel acolheu uma moça perdida, escondida na propriedade. E depois veio outra, mais outra; agora, a casa era conhecida à boca miúda, em Londres, por ajudar moças em situação difícil, expulsas de casa ou fugidas de familiares abusivos.
Mas o que ninguém sabia era que a casa SÓ tinha mulheres. Algumas delas, quando necessário, se vestiam e se passavam por homens, para expulsarem "noivos" indesejados, por exemplo.

Entretanto, a situação delas ia de mal a pior. Isabel precisava comprar mantimentos, consertar um telhado cheio de goteiras e, agora, enviar seu irmão para uma escola adequada para ensiná-lo a ser um Conde, desde que descobriu a morte de seu pai.
James precisava de orientação masculina já que, aos 10 anos, havia chegado naquela fase de curiosidade dos garotos. Havia sido descoberto vendo uma das garotas da casa tomando banho.

O pai morreu  sem deixar herança e Isabel não tinha exatamente uma fila de candidatos clamando por sua mão em casamento.

Em compensação, do outro lado do país, em Londres, Lord Nicholas St John não sofria de problemas financeiros - era o segundo filho de uma marquês -, muito menos de pretendentes. Isso, desde que a maldita revista feminina Pérolas e Peliças decidiu fazer uma matéria sobre os melhores partidos ainda solteiros na cidade e o nome dele encabeçou a lista.
Várias mulheres solteiras, e até casadas, começaram a querer saber a opinião dele sobre esculturas, já que todos sabiam que ele era um renomado antiquário.

Nick estava cansado de tanta atenção e de seu amigo, Rock, e seu irmão gêmeo, Gabriel, tirarem sarro da cara dele.
Pensava mesmo em fazer nova viagem quando o Duque de Leighton, Simon, aparece no pub e pede a ajuda de Nick para encontrar sua irmã mais nova, Georgiana.
Nick também era um notório rastreador, tendo trabalhado para o reino, na época da guerra.

As pesquisas de Nick, acompanhado por Rock, levam-nos até Dunscroft, em Yorkshire, onde o rastro de Georgiana desaparecia. Ele precisava descobrir para onde iria a partir dali.
Mas antes de saírem da cidade, uma certa dama chamou a atenção de Nick, enquanto ela, distraída lendo alguns papéis, atravessava a rua alheia que poderia ser pisoteada a qualquer momento por uma carruagem desgovernada que se aproximava, e como o cavalheiro que era, Nick acaba se jogando sobre a moça para salvá-la.

Nesse encontro totalmente atípico - já que ela não o agradeceu pelo salvamento, mas antes reclamou porque ele a jogou no chão -, Nick fica sabendo que essa moça estava à procura de um antiquário para avaliar uma coleção de esculturas em mármore que ela tinha. E olha a coincidência, ela estava em frente ao melhor deles.
Mas o faro de Nick detectou que aquela moça escondia mais do que uma coleção de mármore.

E, assim, Nick e Rock vão parar na casa da dama que vestia calças e subia no telhado para consertá-lo; que tinha um mordomo e cavalariço efeminados e que tinha um irmão caçula nobre e falante.
Em pouco tempo, a dupla descobre os segredos que Isabel fazia de tudo para esconder e logo tomaram para si a responsabilidade de protegê-las.

Só que havia um porém: Nick havia ido a Dunscroft para encontrar Georgiana e Isabel não sabia disso.
Os dois estavam desenvolvendo certos sentimentos que a cada dia ficavam mais difíceis esconder - e quem disse que eles queriam?
Nick sempre teve a tendência de proteger donzelas em apuros, e por causa disso, ele mesmo se meteu numa grande confusão na Turquia (acontecimento esse que ele sequer gostava de lembrar), mas com Lady Isabel era um pouco mais do que isso.
Ele precisava convencê-la a se casar com ele. Ele precisava colocar a Casa de Minerva sob sua proteção. Ele precisava dizer a Isabel o real motivo de sua ida à cidade. Mas antes que ele conseguisse isso tudo, aconteceu... Leighton!



Um cavalheiro que adora ajudar mocinhas em apuros e uma mocinha que não quer ser salva, eis a dupla a que somos apresentados.
Nicholas é gêmeo, irmão de um marquês, e teve uma vida não tão fácil, apesar do dinheiro sobrando.
Desde a história anterior, ficamos sabendo que a mãe deles não foi um exemplo materno. Fugiu de casa para viver uma grande aventura, deixando para trás os filhos pequenos. Isso trouxe uma repercussão psicológica/emocional na vida de Nick muito mais forte do que na vida de Gabriel. Enquanto Gabriel se blindou e aprendeu que não se pode colocar sentimentos nas pessoas, Nick se culpou pela partida da mãe. E cresceu com a resolução de um dia descobrir o porquê e onde ela se encontrava.
As respostas vieram, assim como uma meia-irmã caçula, Juliana, linda, italiana e de temperamento forte.
Se a mãe dele ensinou que mulheres não são confiáveis, a ruim experiência que ele viveu na Turquia colocou uma pá de cal no assunto, e Nick estava resoluto a não casar.
Até pouco tempo atrás, seu irmão mais velho repetia o mesmo mantra, mas desde que ele conheceu Callie, Gabriel era um homem apaixonado e modificado.

Isabel, por sua vez, teve problemas emocionais E financeiros.
O Conde de Reddish era conhecido como o Conde Perdulário. Nunca se importou com a família e tirou tudo deles enquanto em vida. Para continuar gastando e jogando em Londres, ele apostava a casa na cidade, os cavalos, os móveis e, por fim, sua filha.
A única coisa que Isabel ainda tinha de valor na casa era a coleção de esculturas em mármore, presente de seu pai à sua mãe, na época das vacas gordas, e que sua mãe deu para ela. Mas até disso ela teria de se desfazer.

O encontro deles é explosivo - literalmente; os dois vivem às turras e, ao mesmo tempo, prontos para se agarrarem. Isabel não tem experiência com homens (a não ser que expulsá-los à vassourada conte alguma coisa), mas Nick conta com toda a experiência no quesito conquista (e ainda assim, de vez em quando, enfia os pés pelas mãos), tem conexões e pressente que as feridas de um passado que ainda incomodam podem ser curadas pelas mãos daquela mulher forte e resiliente.

Sem cliffhanger. Ótimo ritmo.
Personagens fortes, até os secundários são fofos.
Não esqueçam que essa Georgiana é a mesma personagem que aparece em outra série da autora, o CLUBE DOS CANALHAS, bem mais à frente.
Dá um bom direcionamento para onde vai o livro 3 - a história do duque após seu encontro catastrófico com Georgiana.

E agora uma observação: eu já tinha lido essa trilo assim que saiu há anos e das três histórias, achei este livro aqui o mais fraco. Mas com esse lançamento da Arqueiro, relendo o livro (e também por estar mais velha, com outra cabeça), gostei muito mais do que da primeira vez.
Ok, ok, admito que meu personagem preferido ainda é o duque-metidão-Leighton, mas Nicholas definitivamente tem seu charme.




*LIVRO cedido pela editora, em parceria, em troca de resenha com opinião honesta
**Gravura de Larry Rostant

Nenhum comentário:

Postar um comentário