terça-feira, 18 de outubro de 2016

Ursula K. Le Guin - O Feiticeiro de Terramar (Ciclo Terramar livro #1)



Ficha técnica: O Feiticeiro de Terramar (A Wizard of Earthsea)
Autora: Ursula K. Le Guin
Editora Arqueiro
Lançamento original: 1968
Lançamento BR: 2016
176 páginas
POV: terceira pessoa
Gênero: Young-adult; Fantasia

Protagonistas: Duny/Gavião/Ged; Vetch; Ogion; Mestres variados; otak; Jaspe; Miléfólio
Local/ano: terras criadas pela autora/indeterminado

"Há quem diga que o feiticeiro mais poderoso de todos os tempos é um homem chamado Gavião. Este livro narra as aventuras de Ged, o menino que um dia se tornará essa lenda.

Ainda pequeno, o pastor órfão de mãe descobriu seus poderes e foi para uma escola de magos. Porém, deslumbrado com tudo o que a magia podia lhe proporcionar, Ged foi logo dominado pelo orgulho e a impaciência e, sem querer, libertou um grande mal, um monstro assustador que o levou a uma cruzada mortal pelos mares solitários."


Imagina se as previsões sobre seu futuro mostrassem um sucesso em sua vida além do imaginado por qualquer ser humano...

Esta é a história de Duny. Ou Gavião, o caçula de um forjador de bronze, cuja mãe morreu antes que ele completasse um ano.
Duny pastoreava cabras, mas o pai dele o coloca para aprender a forjar.
O filho não era trabalhador. Adorava passear pelos campos, conhecer a natureza. Até que um dia, ao ver uma cabra fujona obedecer ao chamado mágico de sua dona, Duny aprende que havia magia.
Mesmo sem saber o significado das palavras ditas por sua tia, ele as repete e acaba se colocando em apuros.

A tia o ajuda e percebe que o poder nele era forte. Começa a ensinar-lhe os nomes dos animais e, assim, estes o obedecem.

Passou a ser chamado de GAVIÃO por sempre estar acompanhado por uma ave de rapina.
Quando a aldeia é invadida pelos Kargs, Gavião os salva conjurando o feitiço de nevoeiro, que confunde os inimigos e os derrota. Mas por ter abusado de um poder que ainda não possuía, ficou cego, confuso. A tia cuida dele mas não exatamente o cura.
Seus feitos são contados adiante.
Um mago curador aparece no quinto dia após o feito. O garoto seria ensinado a ser mago de forma correta.

Em seu 13° aniversário, Duny é nomeado de forma correta como GED. Despede-se de sua aldeia e parte atrás do novo mestre.

O mago não ensinava nada de novo a Ged, mas o deixava à vontade para explorar o local e, quando voltava para a cabana, deveria trazer ervas.
Ged faz amizade com uma menina da nova aldeia que lhe enche de perguntas sobre magia. Ela o perturba tanto que ele decide mostrar a ela do que era capaz. Pega dois dos livros de feitiços do mago, passa horas lendo-os e descobre-se preso ali. O mago aparece e lhe informa que a mãe daquela garota era um encantadora e na certa queria extrair segredos dele.
Vendo que Ged guarda um enorme potencial, Ogion decide levá-lo para Roke.

No caminho em que iam, Ogion é reverenciado numa cidade por ordem do príncipe e também pelo povo, porque há dez anos, Odion salvou a cidade de um terremoto.
Ged segue para Roke no navio Sombra.

Ao chegar na escola, Ged repara que a porta é feita de chifre polido. Lá, ele é recebido por Nemmerle, aquimago, Sentinela de Roke. Conhece os Nove, os mestres de Roke, de capa cinza e cajado.

Com o passar do tempo, a vaidade de Ged o atrapalha, assim como de seu oponente, Jaspe, e os dois acabam se envolvendo num episódio que poderia ter tirado a vida de Ged.
Este não morreu, mas passou muitos meses acamado, surdo, cego, mudo e com febre. Meses depois, quando se recuperou devagar, ele tornou-se o aluno mais atrasado e teve que se esforçar para voltar a aprender na rapidez anterior.
Seu melhor amigo, Vetch, acaba se formando antes dele, recebe seu cajado e parte de Roke, e a partir daquele dia ele seria conhecido como Estarriol.

Aos 18 anos, Ged finalmente sai de Roke e passa a fazer seu trabalho como mago. Ele consegue livrar uma cidade do ataque de dragões.
Desde o episódio  que o deixou debilitado por meses, Ged sabia que uma sombra maligna o perseguia, ele mesmo a havia libertado, e esta mais uma vez o ataca. Ele torna-se cada vez mais fechado, sempre preocupado que sua presença em determinado lugar pudesse trazer malignidade. Por isso, ele leva um bom tempo para relaxar ante a presença de Serret, senhora de Benderesk, que sempre conversava com Ged.

Mas Ged precisava se livrar do Maligno que o perseguia, por isso, ele retorna a seu antigo mestre, Ogion, em busca de ajuda.
A princípio Ged pensa em fugir, mas Ogion lhe diz que não adiantaria, ele deveria enfrentar a sombra.

Ged, então, parte para seu maior desafio e para isso, ele vai precisar de uma ajuda inestimável...



Lançado originalmente em 1968, a pedido do editor da autora, este livro fez muito sucesso desde o início.  Quando foi publicado, não havia muitos livros como ele, o que fez ser bem recebido pelo público e pela crítica, recebendo até mesmo um prêmio.
O interessante é que o livro NUNCA entrou na lista dos mais vendidos, mas tornou-se um clássico (isso só prova que rankiamento não é tudo. Muitos livros rankiados desaparecem com o tempo).

A linguagem é simples e direta, a autora não perde tempo com detalhamentos de cena, e sim, muito mais com os sentimentos, as descobertas, as angústias dos personagens.
Bem mais fino do que o de fantasia mais famoso do momento, aquele do bruxinho e do vilão que não deve ser nomeado, ele prende por sua simplicidade. Mas ainda há muito por vir, haja vista a série é composta por 6 livros, o último tendo sido lançado em 2001. Portanto, não termina em cliffhanger, mas a aventura continua.

4 estrelas

Sobre a autora




*LIVRO cedido pela editora, em parceria, em troca de uma resenha de opinião honesta

Nenhum comentário:

Postar um comentário