quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Maya Banks - O Mais Desejado dos Highlanders (Montgomerys & Armstrongs #2)




Ficha técnica: O Mais Desejado dos Highlanders (Highlander Most Wanted)
Autora: Maya Banks
Editora Universo dos Livros
Lançamento original: 2013
Lançamento BR: 2016
400 páginas
49 capítulos
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de época; Chick Lit

Protagonistas: Bowen Montgomery; Genevieve McInnis
Local/ano: Escócia/ Século XIII

"Genevieve McInnis está presa no castelo McHugh, no cativeiro de um líder cruel que tem grande prazer em mantê-la distante de qualquer outro homem. Mas, quando Bowen Montgomery invade os portões em uma missão de guerra, Genevieve redescobre a vontade de viver. A sensualidade robusta de Bowen atiça nela uma sensação profunda que anseia por ser prolongada mediante carícias pacientes e gentis. Algo quente, louco e tentador. Bowen toma conta do castelo de seu inimigo, despreparado para a misteriosa e reclusa mulher que captura seu coração. Ele está encantado com sua determinação feroz, sua beleza incomum e sua força silenciosa e infalível. Contudo, para cortejá-la, será necessário mais do que a habilidade de um sedutor experiente. Ele descobre que amar Genevieve significa devolver a liberdade que lhe foi roubada, mesmo isso que signifique perdê-la para sempre."



Continuação da série > livro #1 > resenha

Antes, inimigos mais do que declarados, os clãs Montgomery e Armstrong estavam em trégua desde o casamento do Laird Montgomery, Graeme, com a filha do Laird Armstrong, Eveline.
Mas após o rapto de Evie pelo seu antigo pretendente, Ian McHugh, os clãs se uniram mais ainda em busca de justiça pelo ato dele.

A princípio ficaram sabendo que todo o ato vil havia sido feito pelo filho do Laird McHugh, sem o conhecimento do pai. Mas tão logo Eveline contou que Patrick McHugh sabia de tudo, não houve jeito. Era guerra declarada.

Quando os clãs chegaram ao clã McHugh foram recebidos por uma criança com não mais do que 7 anos de idade, segurando uma espécie de bandeira branca. O Laird covarde havia fugido, levado as provisões do seu próprio povo e deixado-o lá para sofrer as conseguências dos atos de seu filho.

Bowen Montgomery, como segundo filho do clã, foi à frente em nome de seu irmão, o Laird. Ao saber das condições ali encontradas, decidiu que o clã seria confiscado, pertencendo ao clã Montgomery, até que Graeme decidisse o que fazer com eles.

Entretanto, toda a negociação foi feita não pelos homens que ficaram, os mais velhos ou aqueles que tinham família e não quiseram/puderam fugir com seu Laird, mas pelas mulheres. Especialmente por uma que nem McHugh era, e, de fato, era desprezada por todo o clã, conhecida como "a prostituta de Ian McHugh", Genevieve McInnis.

Se Genevieve era conhecida como tal, não era por vontade própria.
Na verdade, depois de ter perdido a pretendente por ela ter ficado louca (enredo do livro anterior), Ian, como o mau caráter mimado que era, ficou fascinado por Genevieve na Corte, mas ela não lhe deu qualquer atenção. Estava comprometida com outro.
Ian, então, emboscou o grupo que viajava com ela, para entregá-la ao seu novo clã. Matou todos e levou ela consigo, mantendo-a cativa.
Não satisfeito em mantê-la como sua prisioneira e violentá-la, ele desfigurou o lado esquerdo do rosto dela para que nenhum outro homem cobiçasse sua beleza.
O ferimento foi mal costurado e a cicatriz era horrível.

Esta mulher foi a mesma quem indicou Graeme ao calabouço onde Eveline era mantida presa por Ian, por isso,  os Montgomerys e Armstrongs tinham uma dívida de gratidão com ela.

Bowen fica fascinado pela atitude dessa mulher.
À primeira vista, assim como todos, ele se choca ao ver o rosto dela, mas o jeito altivo dela, a maneira com que ela se mantinha de pé, tentando mostrar que não era afetada pelos ataques e xingamentos dos McHugh, mesmo depois de ela os ter defendido, era incrível.
Ele quis conhecer mais sobre ela, Ele a colocou debaixo de sua proteção. Ele se viu apaixonado.

Mas um novo rumor no clã coloca em xeque a permanência de Genevieve como protegida de Bowen e seu futuro.
O grande e belo guerreiro terá uma dura escolha a ser feita... A lealdade a seu clã ou o amor que sente por essa corajosa mulher...



O primeiro livro traz uma protagonista com um problema: a surdez. Apesar disso, Eveline era amada e protegida por sua família, mesmo que no início sua família não acreditasse nela quando contava das maldades de seu pretendente, Ian McHugh, e ela teve de usar subterfúgios para fugir do compromisso. Eles pensavam que ela estava louca após o acidente, mas ela não foi repudiada.

Com Genevieve o caso é bem mais complicado.
Linda e de um clã das Terras Baixas, que era muito bem relacionado com a Coroa, ela foi raptada, desfigurada e violentada por seu captor.
O que essa personagem passa ao longo de um ano, você não deseja a seu pior inimigo, e ela lutou, de todas as maneiras, para que seu espírito não fosse quebrantado.

É um enredo forte, que talvez algumas leitoras não se sintam bem cm algumas passagens. Não que as cenas sejam vividas, mas são mencionadas nas lembranças.

O protagonista, Bowen, era belíssimo. Isso era motivo de piada entre os seus, já que ele poderia ter a mulher que quisesse sempre. Até mesmo as casadas se jogavam a seus pés, o que lhe causava dor de cabeça, tendo que se preocupar com a ira de algum marido traído.
É por Genevieve que ele se fascina. 
Bela do lado direito, Fera do lado esquerdo, mesmo quando ela fraqueja, se mostrava mais forte do que muitos soldados que ele conhecera. E quando se tratava de batalhar, no pleno sentido da palavra, ela foi uma grata surpresa, salvando Bowen de um ataque pelas costas.

O romance é bonito. O final, sem cliffhanger, mais do que merecido.
O ritmo é bom. Os personagens já são conhecidos.

Infelizmente, apesar de sabermos que a autora pretende escrever um livro para cada irmão Montgomery e Armstrong, os mesmos ainda não foram lançados. Então, teremos que amargar uma espera de não sei quanto tempo. A autora já prometeu lançá-los e voltou atrás várias vezes, por problemas de saúde ou ter que cumprir prazo de entrega de outros títulos.

Sobre a capa. Linda, não? mas TOTALMENTE ERRADA!!
É mencionado que Genevieve fora à Corte, mas em nenhum momento, ao longo da história, ela esteve na Corte. Tudo se passa nas Highlanders, com ela vestindo, na maior parte do tempo, uma capa. Esse erro da editora ficou feio.
Muitos erros de tradução e revisão. Algumas frases, inclusive, mudam o sentido do que é dito no original. No final, o leitor tem que reler e tirar a conclusão do que se quer dizer.

A diva Maya Banks sempre escreve histórias que encantam, e por causa disso, o livro merece 4 estrelas.
A editora, que está entrando no caminho dos romances de época, que conta com uma legião de fãs fiéis e ávidas por títulos há muito cobiçados, precisa tomar mais cuidado com esses detalhes.

*LIVRO cedido pela editora, em troca de uma resenha de opinião honesta.
**Gravura> Jon Paul Ferrara

Participe do bate papo sobre o livro no próximo fim de semana:






Nenhum comentário:

Postar um comentário