quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Emma Chase - Royally Matched (Royal #2)



Ficha técnica: Royally Matched
Autora: Emma Chase
Editora self
Lançamento original: 21/fevereiro/2017  LANÇAMENTO
Lançamento BR: ainda não
276 páginas
24 capítulos + epílogo
POV: primeira pessoa - Henry e Sarah
Gênero: Romance contemporâneo; Chick Lit, Drama

Protagonistas: Henry John Edgar Thomas Pembrooke e Sarah Mirabelle Zinnia Von Titebottum
Local/ano: Wessco; NY/atual (+ 3 anos à frente)

'Alguns homens nascem responsáveis, outros, têm a  responsabilidade jogada sobre eles. Henry John Edgar Thomas Pembrook, Príncipe de Wessco, acaba de obter a incumbência de lidar com toda a responsabilidade Real.

Ele não está lidando bem com isso.

Na esperança de ajudar seu neto a se erguer frente à isso, a rainha Lenora concorda em dar-lhe "espaço" - mas enquanto a rainha estiver longe, o príncipe vai brincar. Depois de uma reunião casual com uma produtora de televisão americana, Henry finalmente toma uma decisão por conta própria:

Bem-vindo ao Programa: O Par Perfeito - Edição Real.

Um reality show apresentando ao mundo vinte das mais belas de sangue azul reunidas no mesmo castelo. Somente uma ganhará a tiara de diamante, somente uma terá o coração do príncipe.

Enquanto Henry se diverte com as travessuras sexies e atrevidas das competidoras, enquanto elas lutam, literalmente, por sua afeição, é a garota calma, com óculos, no canto - com a voz de um anjo e um corpo que tentaria um santo - que chama a atenção de Henry.

Quanto mais Henry conhece Sarah Mirabelle Zinnia Von Titebottum, mais enamorado ele se torna de sua beleza simples, sua força, seu espírito amável ... e seu senso de humor impertinente.

Mas Roma não foi construída em um dia e realeza irresponsável não é reformada durante a noite.


Enquanto ele se esforça para corrigir seus erros, palavras antigas assumem novos significados para o Príncipe ardente. Palavras como Dever, Honra e acima de tudo, Amor." 


 Continuação da série > Livro #1 > resenha


Desde que seu irmão mais velho, Nickolas, abdicou do trono por conta do amor de sua vida, Henry sente-se sufocado perante as responsabilidades em ser o próximo na linha de sucessão do trono.
Sua avó, Rainha Lenora, faz questão de transmitir a Henry todas as questões que vêm sendo discutidas no reino.

Como segundo filho, Henry jamais imaginou-se numa situação dessas.
Antes, ele havia cumprido sua obrigação servindo no serviço militar - como qualquer cidadão de Wessco, inclusive as mulheres - e podia sair com uma mulher diferente a cada noite. Agora, ele mal tinha tempo de se coçar e cada vez que ele precisava sair do castelo, era seguido por um batalhão de guarda-costas.
Quando Nick comentava sobre o peso que era ser o príncipe, Henry pensava que seu irmão estava fazendo "corpo mole". Não, agora ele entendia bem o problema.

A pressão era tanta que até mesmo Nick veio de NY, com sua esposa Olivia, para conversar com a avó sobre a possibilidade de tratar Henry de forma diferente.
Ela ouve as palavras dele e decide enviar Henry para seu castelo Anthorpe.
Lá, no meio do nada, Henry se sente pior ainda, como se tivesse sido banido. Por outro lado, ele já não tinha sua avó o tempo todo em sua cola. Ele decide fazer o que então? O que fazia de melhor: aprontar.

Henry resolve aceitar a oferta de uma produtora de tv em fazer um reality show da realeza, no qual ele, como o bachelor, seria disputado por 20 beldades entre a nobreza, e no final, ele escolheria uma, entregando uma tiara, fazendo-a sua noiva e futura rainha de Wessco.
Para Henry era a oportunidade perfeita de ter muitas mulheres à mão sem sequer precisar sair de casa.

Como a nobreza não era um grupo tão grande assim, naturalmente ele conhecia boa parte das moças apresentadas. Inclusive uma delas era namorada de um dos melhores amigos de Henry. O que ela estaria fazendo ali?

Mas entre as moças também havia uma que não estava nada interessada em Henry. Lady Sarah Titebottum.

Sarah trabalhava na biblioteca em Wessco, a Concordia Library, na seção de Literatura e Ficção. Apesar de amar o que fazia, uma coisa Sarah odiava: falar em público. E em breve a biblioteca sediaria um evento no qual ela teria de fazer uma palestra. Já se imaginando passando mal, quando surgiu a oportunidade de ela fugir disso, ela não titubiou, nem que essa fuga incluísse ser babá de sua irmã Penny, num evento estranho enquanto 20 moças caçavam um príncipe.

Henry e Sarah viviam se esbarrando durante as gravações. Todos os ambientes do castelo eram  monitorados 24h pelas câmeras do estúdio. Sarah ficara na ala do castelo onde não havia monitoramento já que ela era apenas uma hóspede. E era para lá que Henry fugia para sair daquela confusão.

Os dias foram passando; candidatas foram sendo mandadas para casa, mas a amizade entre Henry e Sarah ia se solidificando.
Ele falava para ela de seus medos em não se sentir preparado para o cargo; ela mostrou a ele meio que sem querer que também sofria de certos traumas que a faziam ficar literalmente fora de si, paralizada, com a respiração errádica, quando havia um barulho muito grande no ambiente.

A  amizade tornou-se algo mais.
Entretanto, Sarah não fazia parte do jogo para ser escolhida, e quando Henry quis cancelar o contrato, acabou sendo chantageado pela produtora.

Sarah não queria ser princesa.
Henry não queria outra além de Sarah.
A rainha Lenora não sabia do que se passava naquele castelo. 
E o caos estava formado...



Um príncipe que não se sentia preparado ao cargo.
Uma lady que sofreu abuso no passado e desenvolveu um trauma que era escondido pela família.
Vinte moças envolvidas num jogo de luta pela coroa. Uma produtora que queria alavancar a audiência a qualquer custo.
Ao longo da leitura, é nítido o amadurecimento de Henry enquanto se envolve com Sarah.

Ela era uma moça culta, que amava ler e fez dos livros seus melhores amigos a ponto de ir trabalhar numa biblioteca.
Os poucos amigos reais que Sarah tinha, do trabalho, eram antigos e fiéis.

Henry teve de, em poucos dias, deixar de ser o playboy inconsequente e cair em si para a o exato peso da responsabilidade exigida por sua avó em relação ao país. Pessoas dependiam das decisões deles; políticos adversários aproveitariam qualquer oportunidade para colocar a realeza em maus lençóis.

Royally Matched é um romance engraçado, sexy e inspirador. Quando chega no momento em que você pensa que o relacionamento deles vai ficar só naquilo, a trama vira de tal forma que surpreende o leitor às decisões tomadas.
Surpreendeu.
Bom ritmo; sem cliffhanger.




Próximo livro, ROYALLY ENDOWED, será lançado em 15/JUNHO, ainda sem capa revelada.

Um comentário:

  1. Aii eu estou mega ansiosa para esse livro sair aqui no Brasil. Eu estou louca pra ler

    ResponderExcluir