segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

J. R. Ward - Blood Vow (Black Dagger Legacy #2)







Ficha técnica: Blood Vow
Autora: J. R. Ward
Editora Ballantine Books
Lançamento original: 06/dezembro/2016
Lançamento BR: ainda não
459 páginas
54 capítulos
POV: terceira pessoa
Gênero: Contemporâneo; Fantasia

Protagonistas: Axwelle - "Axe"; Peyton; Elise; Rhage, Mary, Lizabitte - "Bitty"
Local/ano: Caldwell, NY/atual

A Irmandade da Adaga Negra continua a treinar o melhor dos melhores para se juntar a eles na batalha mortal contra a Sociedade Lessening. Entre os novos recrutas, Axe revela-se um lutador astuto - e também um solitário por causa da tragédia pessoal. Quando uma mulher da aristocracia precisa de um guarda-costas, Axe aceita o trabalho, embora não esteja preparado para a atração animal que ocorre entre ele e a quem ele jura proteger.

Para Elise, que perdeu sua prima num assassinato terrível, o apelo atraente de Axe é perigoso - e possivelmente uma distração à sua dor. Mas à medida que se aprofundam sobre a morte de sua prima, e sua conexão física se torna muito maior, Axe teme que os segredos que ele mantém e sua consciência torturada os separem.

Rhage, o Irmão com o maior coração, sabe tudo sobre autopunição, e ele quer ajudar Axe a atingir seu pleno potencial. Mas quando uma chegada inesperada ameaça a nova família de Rhage e Mary, ele volta a encontrar-se nas trincheiras, lutando contra um destino que destruirá tudo o que ele mais deseja.

Quando o passado de Axe se torna conhecido e o destino parece estar se voltando contra Rhage, ambos devem alcançar o seu íntimo - e rezar para que o amor, em vez de raiva, seja sua lanterna na escuridão.



Continuação da série > Livro #1 > resenha

O treinamento dos recrutas continua já há sete semanas.
Depois de passarem pela triagem, os recrutas veem pela frente muitos testes para se mostrarem capazes.
Craeg e Paradise agora formam um casal, para desgosto de Peyton, que tenta disfarçar seu interesse por ela, mas não consegue. Pelo menos não para Novo.

Axe, o durão de tatuagens no pescoço e piercings no rosto, é aquele que não liga para ninguém.
Ninguém também sabe de sua vida. Como por exemplo, que sua mãe abandonou a família quando Axe ainda era pequeno, em busca de uma vida melhor. O pai, um marceneiro eternamente apaixonado, fez da casa em que vivia um santuário para a esposa, esperando que um dia ela voltasse. Este acaba sendo morto num dos ataques dos lessers à glymera, quando estava fazendo um trabalho numa casa, que, ao ser invadida, o dono e sua família se refugiaram num quarto seguro, deixando todos os empregados para serem mortos. Axe considerava o pai um fraco e, por isso, tomou a resolução de não deixar que nenhuma mulher quebrasse suas barreiras.

Sua casa, se é que ainda poderia ser chamada assim, estava caindo aos pedaços, sem energia por falta de pagamento, e ele considerava o Centro de Treinamento mais sua casa do que qualquer outro lugar. Mas ele precisava de um trabalho. E rápido...

Elise, prima de Peyton e filha de Princeps Felixe, o Jovem, fazia parte da glymera.
Se dependesse de seu pai, ela ficaria num lugar seguro todo o tempo, especialmente depois que sua prima foi assassinada, mas ela tinha outros planos.
Há algum tempo ela vinha estudando Psicologia entre os humanos; queria formar-se para ser especialista em síndrome de estresse pós-traumático e atender pessoas da raça.
Ela era tão boa aluna que logo torna-se assistente de um dos professores, Troy Becke.
Por fazer parte da raça, Elise tinha uma beleza de chamar atenção e o professor sentia-se atraído por ela.

Quando o pai descobre sobre as fugas dela e seu desejo em estudar, não conseguindo convencê-la a desistir, decide pedir ao Rei Wrath uma ordem de restrição para mantê-la em casa.
Elise pede ajuda ao primo, Peyton, mas é Paradise quem a consegue, falando com seu pai, o Primeiro Conselheiro do Rei, a conversar com o pai de Elise.
Já que não teria como segurar sua filha, Felixe quer contratar um guarda-costas. E é aí que entra Axe...

Os dois eram belos e a atração seria certa, mas brigavam como cão e gato.
Axe sente ciúme da atenção que ela recebe do professor Troy; ela não gosta do jeito direto de Axe em falar com ela certas coisas, coisas que a deixam mais atraída a ele.
Para ela, Axe era símbolo da liberdade que ela tanto almejava, mas apesar de eles ficarem juntos, Axe não se entregava de todo.

Com o treinamento em andamento, Axe e Peyton se estranham em vários momentos. Peyton não queria que a prima saísse ferida naquele relacionamento, ou isso terminaria de devastar a família, que já vinha sofrendo desde a morte da prima Allishon.

Aos poucos a defesa de cada um é quebrada.
Elise precisa descobrir o segredo por trás da morte de Allishon, nome proibido dentro de casa. Isso acaba levando-a a descobrir um dos segredos de Axe...O pior deles... E a ferida para os dois seria fatal...

capa europeia


Série 2 da Adaga Negra, trazendo novos personagens, mas usando como pano de fundo os Irmãos já conhecidos.
Primeiro, vamos falar da história principal, Axe e Elise.
Mais uma vez a autora traz um personagem da glymera (ela), com todos os recursos possíveis, mas com limitações por ser uma fêmea. Elise tem sonhos, quer ser independente, mas por causa da prima que usou e abusou de seu status, envolveu-se com aqueles considerados menores e acabou sendo assassinada, trazendo vergonha à família, agora sua vida é regulada.
Para ter acesso a seus estudos, ela é obrigada a aceitar do pai um guarda-costa.
O fato do guarda-costa ser o rapaz, treinando para ser um dos Irmãos, que ela já havia encontrado e achado interessante, foi um bônus... para desespero de seu primo Peyton.

Por sua vez, Axe vem da classe baixa. Família destroçada pela mãe que os abandonou e por um pai que há muito tempo tinha morrido para a vida, por amor.
Quando o pai foi morto, Axe já se encontrava afastado, buscando fuga nas drogas e no sexo.
Ele pode ter conseguido entrar para o treinamento dos guerreiros, mas ainda guardava segredos sombrios e um vício difícil de superar.

Axe era bom no que fazia. Na verdade, em TUDO que fazia, e envolver-se com Elise era uma perturbação que ele não queria em sua vida, mas precisava do dinheiro.
Enquanto ele se envolve a cada dia mais com ela, tenta não colapsar assim como aconteceu com seu pai.

Como história secundária, temos a continuação da busca de Mary e Rhage por qualquer parente de Bitty, a menina de 13 anos, com aparência de 9, que eles queriam adotar como filha.
A cada dia que Mary buscava online pela resposta de alguém reivindicando pela menina, era uma tortura. E esse encontro ocorre de fato, para pesadelo do casal.
O lado mais dramático da história fica mesmo por conta deles.

Destaque para Lassiter que se mostra um fofo neste livro, fazendo uns milagres legais e tentando fortalecer a fé de Mary e Rhage.
Algumas cenas um tanto over nos ataques de Rhage, transformando-se na Fera...achei exageradas, mas ok.

O lado cômico de Rhage: sua cultura cinematográfica e passar esses conhecimentos à Bitty. Portanto, se prepare para menção de vários filmes famosos...








O ritmo é aquele já conhecido, a autora consegue segurar a atenção do leitor fazendo a interrupção da cena na hora certa e mudando o capítulo seguinte para a outra história.
A narrativa aqui é mais leve do que na série original, acredito eu, mais focada no público young-adult.
Tanto para o casalzinho quanto para o problema de Rhage e Mary não tem cliffhanger.

Cena final - sobre os diamantes: singela, mas ao mesmo tempo engraçada, claro, por conta de Lassiter.

Informação:
Encontrei erro de continuidade da autora (UAU!!).
Personagens que sequer são mencionadas: Payne, Xhex, Autumn.



4 comentários:

  1. Parabéns pela resenha!!!
    Sou muito fã da saga principal, amo também o spin'of... Confesso que me apaixonei mais uma vez pelo Lessiter em blood vow, esse anjo fanfarrão me surpreende mais a cada livro!
    Achei o relacionamento do Axe e Elise muito bom, eles conversam abertamente sobre o que sentiam e nada daquela história de ficar escondendo o que sentem... Amei

    ResponderExcluir
  2. Simples, direto, sem spoilers que possam comprometer quem ainda não leu. Gostei muito de tua crítica, ainda não li o livro, mas já posso ter uma ideia de como funciona. Desconfio que a paixão de Ward seja Vishous e Rhage que sempre tem fala relevante ou comediante, como no caso de Rhage, os demais nem tanto. No primeiro livro do Legado, Ward falou sobre a relação de Butch e Marissa. Neste, voltamos ao Rhage. Quem sabe no próximo Legado, Ward trata paralelo ao romance principal, outros casais. Afinal, são cerca de dez casais, se contarmos apenas os Irmãos e Payne. Ainda tem mais os irmãos Sombra, Rev e Assail que já foi dito é o próximo livro com titulo de A Ladra. É muita gente para se falar.

    ResponderExcluir
  3. O livro Blood Vow sairá em português? Sabe o prazo?Já quero muito ler...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tatiane,
      Estamos fazendo pressão junto a editora para que o livro saia logo. Todos estamos na expectativa. Em janeiro já sai a continuação deste aqui e os leitores brasileiros estão atrasados.

      Excluir