sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Kindle Alexander - Painted on my Heart




Ficha técnica: Painted on my Heart
Autora: Kindle Alexander
Editora self
Lançamento original: 1° Janeiro/2017
Lançamento BR: ainda não
392 páginas
31 capítulos
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance contemporâneo; Homoafetivo; Chick Lit; Drama

Protagonistas: Kellus Hardin; Arik Layne; Gage Synclair; Trent Cooper; John
Local/ano: Dallas; Dubai/atual

"O Artista Kellus Hardin deixa que o amor e a lealdade nublem suas decisões passadas, um erro que ele definitivamente não vai cometer novamente. Agora, perdido e sozinho, ele é deixado para juntar os cacos de seu coração partido enquanto encara a verdade sobre sua realidade.

Arik Layne transpira poder, confiança e determinação. Mas quando um encontro com o artista mexe em seu âmago e altera todos os seus objetivos futuros, ele encontra mais do que apenas seu coração na mira.

Para Kellus, abrir-se ao amor não é uma opção.
Tudo o que Arik quer é fazer do artista seu.
Pode o amor criar uma obra-prima quando é pintado em seu coração?"


Kellus é um pintor com muito talento. Trabalha incansavelmente para entregar suas obras de arte no prazo estipulado, faz pessoalmente as entregas e as arruma no local para que deem o impacto correto.
Infelizmente o sucesso ainda não bateu à sua porta e sua vida pessoal está um caos.
E o caos tem nome. Chama-se John.

John e Kellus eram amigos desde a época da escola. Descobriram as aventuras sexuais juntos, mas, diferente de Kellus, John foi mais além e não parou.
John, que poderia ter tido uma carreira promissora como modelo tamanha a sua beleza e magnetismo junto às pessoas, preferiu ir fundo no mundo das drogas e agora estava para além do vício comum.
Ele tomava metanfetamina - cristal - e volta e meia ele desaparecia por dias para depois vir perturbar a vida de Kellus.
Isso quando não aparecia de surdina e roubava itens de dentro da casa que eles compraram juntos, para conseguir mais drogas.

Kellus estava cansado dessa situação. Mas a cada vez que ele se prometia que aquela seria a última vez que ajudaria seu ex-parceiro, a culpa o fazia largar o que estivesse fazendo para ir buscar John num dos muitos chiqueiros onde John estava quase em coma.

O esforço de Kellus finalmente deu frutos.

Um resort estava para ser inaugurado em Dallas e, junto a ele, uma galeria de arte.
Na verdade, os donos do resort e da galeria eram primos, da família Layne.

Gage Synclair havia feito uma carreira bem-sucedida como fotojornalista e depois entrou no ramo das artes, abrindo galerias pelo mundo.
Quando estava para abrir a galeria em Chicago, ele conheceu o amor de sua vida, Trent Cooper, dono da empresa que fazia as instalações elétricas (livro The Current Between Us, da autora, ainda não resenhado pelo blog).

A família Layne era enorme, agora muito rica, e unida. Adoravam implicar uns com os outros. Os filhos costumavam casar cedo e terem logo uma penca de filhos. Gage havia encontrado sua alma gêmea, agora, a família pegava no pé de Arik e seus muitos BT (boys toys).

Mas voltemos ao caso Kellus...
Com a inauguração da galeria junto ao resort, o número de convidados famosos foi muito maior do que o artista esperava. Vários famosos abrilhantavam o tapete vermelho e a imprensa aguardava com ansiedade a chegada do novo artista que Gage estava apadrinhando.

Arik viu Kellus chegando, de longe, e pensou tratar-se apenas do entregador das obras de arte.
Na inauguração, apesar de Arik ter tentado uma aproximação, Kellus sempre se mostrou um tanto arredio. Mas Arik não havia conseguido se tornar um mega empresário do ramo hoteleiro temendo desafios. E Kellus tornou-se exatamente isso para ele.

Aos poucos ele foi se aproximando; sempre esperando que Kellus entendesse a mensagem e desse o próximo passo.
Às vezes parecia que eles davam um passo adiante e retrocediam dois. Aos poucos Arik conseguiu mostrar a Kellus o seu real interesse e o romance deles deslanchou.

Entretanto, por conta desse passado conturbado com John - que na verdade havia sido o único parceiro de Kellus até então -, Kellus guardava um segredo que o fazia se afastar das pessoas. John conseguira até mesmo que a família de Kellus lhe desse as costas!

Em passos de gueixa, Arik vai quebrando a resistência do artista. No entanto, a culpa pode ser um dos piores inimigos que uma pessoa carrega nas costas e por causa dela, Arik poderia vir a perder a única pessoa com quem ele finalmente havia pensado em ter um futuro junto...

 Gravura de Melissa Macentyre


Os enredos de Kindle Alexander sempre vêm cheios de drama com uma grande pitada de realismo. Normalmente são mais próximos às pessoas comuns do que aqueles enredos conhecidos de pessoas multimilionárias que conseguem tudo num piscar de olhos (bem distante da realidade da maioria de nós).
Neste aqui, num ritmo e narrativa envolventes, a autora traz sobre as agruras de se conviver com alguém que faz/fez parte de nossa vida, com uma grande importância, mas, que por alguma razão, resolve se desviar de seus planos e jogar-se no mundo das drogas. 
Como agir?

Para uma pessoa que está fora da situação, pode parecer fácil dizer "largue de mão. Tudo já foi feito para ajudar fulano mas ele simplesmente não quer!", mas seria isso o tudo a se fazer?

É notório que o personagem de John destruiu a própria vida e obriga Kellus a viver uma situação insustentável. Em nome dos bons momentos que viveram juntos, a amizade e, de certa forma, a culpa, Kellus continua a se levantar no meio da noite para ir colher "os restos" de John. Mas o cansaço também já havia alcançado Kellus e ele precisava seguir em frente.

Gage vê o talento de Kellus e o contrata como o artista da noite de abertura de sua nova galeria em Dallas. Além disso, várias de suas obras já estavam em poder de Arik que, antes mesmo de conhecer Kellus pessoalmente, havia se conectado com o trabalho do artista.
Da noite de inauguração em diante novos trabalhos surgiram para Kellus. Seu nome estava em alta cotação. Isso sem contar que sua boa aparência, seu carisma, faziam com que as pessoas gostassem imediatamente dele. Por que, então, não aproveitar a chance?

Quando Kellus e Arik começam a se conhecer e há a atração latente, apesar de seus medos, Kellus aos poucos vai se entregando àquela nova emoção, aquela que ele pensou que nunca mais sentiria, graças a John.

No entanto, nada foi fácil. Mesmo de longe, John conseguia ruir a vida de Kellus e algo precisaria ser feito para esse feitiço ser quebrado.

Protetor como era, Arik havia tomado algumas providências, mas deveria partir de Kellus a ruptura definitva.

Confesso que em alguns momentos cheguei a ter raiva de Kellus e essa proteção que dava a John, principalmente quase no final do livro, mas daí, é quando Kindle tira "o coelho da cartola" e nos mostra uma faceta que equilibra tudo que estava fora do lugar e, ainda assim, nos dá o seu famoso "felizes para sempre" e aquela esperança de que todo mundo merece encontrar sua alma gêmea.

Os personagens principais carregam na emoção e no drama e os secundários ficam a cargo do lado cômico - a família de Layne - e em revisitar personagens de livros já lançados. Essa parte, então, eu amadorei.

Sem cliffhanger.
  
*Dos personagens de livros anteriores que aparecem aqui, leia:

The Current Between Us - Gage Synclair e Trent Cooper

Secret - Tristan Wilder e Dylan Reeves > resenha aqui

Double Full - Colt Michaels e Jace Montgomery > resenha aqui

**ARC recebido pela autora em troca de uma resenha de opinião honesta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário