segunda-feira, 31 de julho de 2017

Lisa Kleypas - Uma Noite Inesquecível (As Quatro Estações do Amor #4,5)



Ficha técnica: Uma Noite Inesquecível (A Wallflower Christmas)
Autora: Lisa Kleypas
Editora Arqueiro
Lançamento original: 2008
Lançamento BR: julho/2017
144 páginas
Prólogo+ 14 capítulos + epílogo
POV: terceira pessoa
Gênero: Romance de época; Chick Lit; New Adult

Protagonistas: Raphael "Rafe" Bowman e Srta. Hannah Appleton
Local/ano: Londres; Hampshire/1845

"O Natal está se aproximando e Rafe Bowman acaba de chegar a Londres para uma união arranjada com Natalie Blandford. Com sua beleza estonteante e o físico imponente, ele tem certeza de que a linda aristocrata logo cairá a seus pés. 

No entanto, seus terríveis modos americanos e sua péssima reputação de farrista deixam Hannah, a prima da moça, chocada. Determinada a proteger Natalie, ela vai tornar a tarefa de cortejar a jovem muito mais difícil do que Rafe esperava. 

Hannah, porém, logo começa a se importar mais do que gostaria com o rude pretendente da prima. Rafe, por sua vez, passa a apreciar um pouco demais a companhia de Hannah, uma mulher forte e pragmática com um coração doce e gentil. E quando Daisy, Lillian, Annabelle e Evie, quatro amigas inseparáveis que já conseguiram encontrar o homem de seus sonhos, decidem agir como cupidos, quem sabe o que pode acontecer?" 



Continuação da série: Livro #1 > resenha
                                    Livro #2 > resenha
                                    Livro #3 > resenha
                                    Livro #4 > resenha


Nunca diga nunca.
Não só em relação ao que acontece neste livro aqui, como com a série como um todo.
No livro anterior, pensávamos que tudo acabaria ali. As quatro amigas, as Flores Secas, aquelas que haviam se unido num momento de desespero (sim, não encontrar um marido durante a temporada pode ser desesperador!!), estavam bem-casadas e felizes. Algumas já com herdeiros ou grávidas.

Um personagem que até então não havia aparecido, mas foi bastante mencionado, Rafe Bowman, irmão mais velho das irmãs americanas Lillian e Daisy, finalmente chega à Inglaterra.
O objetivo de sua ida era o mesmo das irmãs: encontrar uma esposa, de preferência, de uma família da aristocracia.
Para isso, seu pai, Thomas Bowman, já havia "mexido os pauzinhos" e uma noiva estava encomendada. 
Natalie Blandford vinha de uma boa família, com prestígio, mas seu pai, que já não era tão jovem e via que a Revolução Industrial mudava o mundo do cenário financeiro, fazendo com que o dinheiro mudasse de mãos, achava vantajoso o casamento de sua única filha com o empresário e investidor Rafe. Ainda que fosse americano, sem títulos, ele era cunhado do Conde Westcliff e fazer parte do círculo íntimo de Marcus era um prêmio muito cobiçado.

Rafe, recém chegado ao país, e Natalie ainda não tinham se encontrado.
Para ajudá-lo, sua irmã Lillian e as amigas desta, Annabelle e Evie, decidiram convidar a acompanhante e prima de Natalie, Srta. Hannah Appleton, para o chá e, assim, conseguir informações da pretendente.

A fama de Bowman o precedia e Hannah, ferrenha defensora da prima e achando que esta merecia alguém melhor, já de cara não gosta de Rafe. Desafio lançado.

Rafe toma como profissão de fé espezinhar Hannah.

Nos dias seguintes, eles estariam juntos por mais de 15 dias na propriedade Stony Cross, da família Marsden (Marcus e Lillian), em celebração ao natal que se aproximava. Receber um convite para os eventos em Stony Cross era motivo de comemoração, para quem ia, e de inveja daqueles que ficavam de fora. E Lillian queria instituir uma tradição existente na América de montar uma árvore de natal no salão principal.
A árvore escolhida era imensa e seria preciso uma verdadeira equipe para enfeitá-la.

O evento começa com Hannah tendo toda uma opinião arraigada a respeito de Rafe, enquanto via sua prima Natalie se desmanchar por ele, encantada com sua beleza e seu jeito brincalhão.
Mas com o passar dos dias, uma nova face de Rafe vai sendo revelada.

Hannah sabia que havia um negócio por trás do casamento da prima com o americano. Thomas Bowman, que não se dava tão bem assim com o filho, havia lhe prometido sociedade na empresa caso o casamento se realizasse. Caso contrário, Rafe seria até mesmo deserdado.

Ao começar a conhecê-lo melhor, Hannah sente que cometeu uma injustiça.
No que dizia respeito à sua prima, havia um outro forte candidato, lord Travers, que estava interessadíssimo em Natalie, mas como ele era respeitoso demais - na visão dela -, acabava por não tomar a iniciativa em beijá-la ou forçar a situação para ficar sozinho com ela.
Rafe ganhava terreno. Travers e Hannah se desesperavam. Natalie estava exultante. As famílias teriam benefícios financeiros... Mas, em meio a tudo isso, havia um certo soldadinho de chumbo...

  

O retorno dos personagens que aprendemos a amar.
Annabelle e Simon Hunt; Daisy e Matthew Swift, que moram em Bristol; Evie e Sebastian, ela grávida do primeiro filho; e Lillian e Marcus.
Este último casal vive um pequeno drama - mais da parte de Lillian -, que jura de pés juntos que seu marido já está cansado de estar casado com uma mulher não tão apropriada assim e, por isso, tem como amante Lady Kittridge, uma viúva da aristocracia, rica e belíssima.

Sobre o casal principal, ambos são comuns.
Rafe não é nobre, apesar de muito rico por mérito próprio. O relacionamento dele com o pai não é nada bom (na verdade, Thomas Bowman não se dá com nenhum dos filhos). E neste livro aqui o verdadeiro caráter de Thomas Bowman é mais revelado, e digo, ele foi um pai tenebroso, com uma esposa omissa e deslumbrada.
O que poderia fazer Rafe cair nas graças do pai seria se ele fizesse exatamente o que o pai queria, a saber, casar-se com Natalie.
O grande problema era que apesar de Natalie ser muito bonita e interessante, sua prima Hannah era mais ainda. Sua beleza só não transparecia mais porque ela era a prima pobre que vivia pela caridade dos tios. E a tia gostava de lembrar-lhe o seu lugar que era o de acompanhante da prima, que recebia um subsídio (ajuda de custo? Pagamento? Fosse o que fosse, ela não gostava de ser considerada uma empregada).

Possibilidade de ter mais livros? Até poderia.
Sabemos que os Bowman têm mais dois filhos, os gêmeos Ransom e Rhys, que são mencionados mas não aparecem. Estes também não têm as boas graças do pai.
Há um trecho na história em que Daisy diz que Hannah é a primeira Flor Seca honorária, o que dá a entender que outras poderiam aparecer e serem ajudadas novamente pelas quatro amigas. Será?

Este livro é um pouco mais fino do que os anteriores. Não tem cliffhanger. Contém várias cenas engraçadas e uma de partir o coração.





*LIVRO cedido pela editora, em parceria, em troca de resenha de opinião honesta
**Gravura: Robert Papp - www.robertpapp.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário