segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

{{CURIOSIDADE}} OS CLUBES DE CAVALHEIROS


Os Clubes de Cavalheiros de St. James, especificamente os três no topo da St. James Street: Boodle's, Brooks e White's, eram frequentados por homens da mesma classe social que usavam seu controle do espaço para afirmar alianças e rivalidades sociais e políticas entre eles.
No entanto, cada clube teve um início bem diferente.
Vamos conhecer alguns deles:


O Clube White's no século 19



O mais reverenciado e antigo Clube de Cavalheiros é o White's (é, e não "foi" porque o clube ainda existe).

Um novo membro era aceito ou não no Clube através de uma eleição. Um dos métodos de eleição mais usado era o de um membro escolher entre uma bola branca ou negra. Para ser aceito, o novo membro não poderia receber sequer uma bola negra. Se isso acontecesse era chamado de "blackballed".
Atualmente a entrada também não é fácil. O candidato deve ter sua entrada atestada por pelo menos 35 sócios antigos. Há um número limitado de membros; isso quer dizer que a fila de espera para fazer parte dele é enorme. Geralmente os membros só saem quando morrem.


White's atualmente

escadaria dentro do White's


Fundado como uma loja de chocolate em 1693, na Curzon Street em Mayfair, pelo italiano Francesco Bianco, que mudou seu nome para Francis White, o clube tinha o foco político conservador, conhecido como Tory.
Em 1756 sua localização foi mudada para o local onde se mantém até hoje, na rua St James, após o prédio original ter sofrido um incêndio.
Originalmente, quando o White's se tornou um clube, era principalmente um centro de jogo, com membros que frequentemente jogavam cartas com altas apostas. Whist, Faro (também conhecido como Faraó), Quinze e Hazard foram alguns dos jogos mais populares. 
O Clube até hoje é direcionado apenas aos homens. A Rainha Elizabeth II foi a única mulher que já entrou em seus salões. 


Uma outra particularidade deste Clube é sua arquitetura cuja frente apresenta uma janela diferenciada, a Bow Window (janela em arco).






A mesa que encontrava-se nessa janela não era permitida para qualquer membro. Era um privilégio sentar-se nela que durante muitos anos coube exclusivamente a George Bryan "Beau" Brummel, um dândi referência em moda e estilo e amigo pessoal do Rei George IV. O que Beau ditasse como moda masculina deveria ser seguido à risca. 


Brooks


interior do Brooks



Em 1762, dois cavalheiros não aceitos pelo White's (foram "blackballed) decidiram criar o seu clube privado. Nessa época, o nome do clube era conhecido como Almack's (sim, o mesmo do baile dedicado às debutantes na caça a marido) porque os poucos membros se encontravam no Almack's Coffee Shop.
Em março de 1764, um total de 27 nobres liberais - também conhecidos como Whigs - fundaram o clube de fato. A mudança do clube à rua St James aconteceu em 1778, dando o nome de Brooks, por causa do prédio construído por William Brooks, um comerciante de vinhos que era gerente do Almack's.
Por um tempo este Clube foi o preferido do Príncipe Regente. Mas este mudou para o White's quando um amigo seu teve sua entrada negada. 

Boodle's

restaurante no Boodle's



O Boodle's foi fundado por Lord Shelburne, o futuro marquês de Lansdowne e primeiro-ministro do Reino Unido, em 1762 e localizado no 49-51 Pall Mall, em Londres. O clube mudou-se em 1782 para o número 28 na St. James Street. O nome do clube foi dado porque os encontros começaram a ser realizados numa taverna, cujo dono era Edward Boodle.

O Boodle's é o segundo clube mais antigo de Londres. Dizia-se que este clube era frequentado pelos escudeiros do país e pelo grupo de caça à raposa. Apostas mais altas e pesadas eram permitidas nele, mas o clube não foi associado a qualquer partido político.

Provavelmente a razão pela qual o Boodle's é mencionado menos nos romances de época é porque o clube se tornou o ponto de encontro de cavalheiros ricos mas não nobres, enquanto o White's manteve sua reivindicação para os membros mais antigos da nobreza. Alguns nobres podem até ser encontrados na lista de membros do Boodle's, entretanto, há consideravelmente mais cavalheiros do que aristocratas.

Boodle é o único dos três clubes que permite membros do sexo feminino, embora elas tenham sua própria entrada.

Uma característica existente nesses maiores e famosos clubes eram as apostas feitas por qualquer motivo. Havia um livro onde era assinalada uma razão qualquer a ser apostada (exemplo: se no dia X iria chover ou fazer sol). Os membros que quisessem apostar colocavam seus nomes e a quantia apostada. A partir do momento que em meio a uma conversa houvesse uma divergência de opinião, o tema seria válido a entrar no livro de apostas.



Há referência a outros clubes menores e com menor duração. Na verdade, para se fundar um clube de cavalheiros bastava-se ter um grupo de homens com interesses em comum - por mais estranhos que fossem -, um local de encontro e algumas regras básicas de convivência.
Alguns desses outros foram:

=> O Royal Society era conhecido como um lugar de encontro para cientistas, engenheiros, exploradores, botânicos e astrônomos de sua época. Era também frequentado por soldados, poetas, bispos, músicos e escritores.

=> Alfred Club foi criado para atrair escritores. Lord Byron era um membro deste clube. Em 1811, o Clube de Alfred tinha 354 homens em sua lista de espera.

=> Four Horse Club era conhecido por atender aos jovens aficcionados por cavalos em especial aqueles que participavam das corridas de alta velocidade em Rotter Row. Em seu pico, o clube só deteve de 30 a 40 membros. Não tinha sede própria.

=> O Watier's foi fundado pelo chef do Príncipe de Gales em 1807. O clube era conhecido pela suas apostas altíssimas e exatamente por isso foi fechado em 1819. 


Fonte > http://bit.ly/2lF4hvE
Fotos e gravuras > Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário