sexta-feira, 30 de março de 2012

A Arte de Resenhar



Volta e meia me deparo com uma antiga discussão (antiga no sentido da palavra, porque na verdade este assunto se tornou notório há pouco tempo com a popularização dos blogs): como  se deve resenhar?

A princípio a gente imagina que é muito fácil: basta criar um blog literário e sair dando a sua opinião a torto e a direito sobre cada livro lido.
É claro que vivemos num país livre, democrático, e temos o direito de achar o que quisermos do que lemos. Na teoria isso é muito bonito, mas na prática, não presta.
Digo isso porque a gente tem que se lembrar que mesmo que a obra seja pública pós publicação - e o autor tem que estar preparado para todo tipo de crítica - na prática há algo chamado de Propriedade Intelectual. Isso significa - no popular - que o autor sabe que vai receber críticas mas dependendo do que vier ele pode te processar.
Há casos clássicos (por favor, não citemos nomes!) em que autor e/ou editora processou críticos profissionais ou amadores por críticas um tanto mais contundentes. Ou seja, a gente PODE criticar, mas tem que tomar cuidado.

No entando, se voce parar para pensar, lançar um livro, especialmente no Brasil, não é nada fácil. Se voce for um autor desconhecido então, prepare-se para a peregrinação. Envio de cópias de sua obra para trocentas editoras, a chegada das cartas com negativas (isso quando a editora se digna a mandá-la), pagar do próprio bolso as custas da publicação, fazer o trabalho de marketing e venda de sua obra...Ou seja, voce não vai SÓ escrever o livro.
Da parte das editoras, tem todo o preparo de diagramação, revisão, publicação, divulgação... Tudo isso custa tempo e dinheiro. E tempo é dinheiro.
Então nada mais justo do que editora e/ou autor se sentir ofendido quando alguém tasca uma resenha falando mal de seu mais novo baby.

Mas vamos combinar que há livros que parecem não ter dado qualquer trabalho para alguns meios de divulgação. O livro foi lançado totalmente às pressas, repleto de erros de gramática (cade a revisão????), espaçamento errado, faltando paginação....SOCORRO!!!!! 
Para o leitor que é fã isso é no mínimo uma falta de respeito.

Não vou nem entrar no mérito das obras que precisam de tradução. Isso porque se eu não conheço o livro em seu original, não terei como me basear para saber se a tradução foi bem feita ou não. Neste caso, terei que confiar no tradutor que, naturalmente, sabe mais do que eu.

O ponto é o seguinte, existe a obra (o ídolo), existe o leitor (o fã), e existe o crítico (profissional ou não). 
Costumamos dizer que no Brasil todo mundo é um pouco técnico de futebol e presidente da república (sabemos a solução para todos os males, até estarmos na pele destes). Portanto, sempre haverá resenhas e críticas (construtivas ou não). Façamos um trato: cada um tenta fazer a sua parte da melhor maneira possível.
Há uma diferença entre se criticar uma obra porque não se gostou da história ou do genero literário, e se criticar uma obra porque o trabalho da editoração foi mal feito. Isso se ve claramente.
Deixe claro em sua resenha o porque de não se ter gostado de determinada obra (enredo fraco, livro muito comprido, falta de explicação de pontos básicos da história). A editora faz o trabalho de acabamento, divulgação, distribuição. Ela não é responsável pelo que se passa pela cabeça do autor.
Por outro lado, a editora, independente de seu tamanho e seu poder aquisitivo para investir numa obra, deve fazer o seu trabalho da melhor forma possível. Sem prometer ao autor - principalmente o iniciante - uma publicação mirabolante quando ela não tem condições para tal (eu disse CONDIÇÕES, e não COMPETENCIA).

Parece simples tudo que escrevi? Sei que não é. Por outro lado, por que cargas d'água a gente tem que complicar tudo?????

Eu não sou escritora. Sou leitora e tenho orgulho disso. Gosto de livros bonitos, bem editados, com letras num tamanho confortável para leitura.Se a capa for bonita então, mais um ponto.
Gosto de livros com enredos que me façam não querer largá-lo até terminar, que me façam suspirar e ter uma certa depressão pós-livro quando este acaba.
Na maioria das vezes consigo tudo isso.

E me perdoem se alguma resenha minha não foi uma festa com fogos de artifícios sobre o SEU livro. Mas saiba que se eu PELO MENOS fiz a resenha é porque não foi de todo ruim. Se fosse.... ihhhhhh....

E uma salva de palmas para quem trabalha com literatura no Brasil. Um dia a gente chega aos mesmos números dos países do primeiro mundo.


quarta-feira, 28 de março de 2012

Lançamentos

Estou naquela fase em que aguardo o lançamento  de algumas preciosidades com ansiedade.
O primeiro deles, já em português, será o Amante Libertada, da saga Irmandade da Adaga Negra. 
Houve uma confusão em como seria a tradução do livro porque há um outro com nome parecido, Amante Liberto. Mas por conta do enredo da história, não tinha mesmo como a história de Payne charmar-se de outra forma. 
Este está previsto para final de abril. Entretando os sites que trabalham com pré venda dizem que o livro estará liberado somente em maio. É esperar pra ver...


Outro livro para final de abril é de uma saga ainda não disponível no Brasil, Ascension.
Como cada livro traz a história de um guerreiro, neste o enfoque maior é dado à Marguerite. No entanto, o consorte dela será o chefe dos guerreiros Thorne. Um homem discreto que até então nunca se fez menção de sua vida privada. Será interessante descobrir quem é essa guerreira que o tira do sério...


Já o terceiro lançamento vai demorar um pouco mais. Isso porque o livro original em inglês só foi lançado ONTEM, dia 27, e aqui nós ainda aguardamos o lançamento da Amante Libertada, que é o livro antes desse. Portanto, meninas, teremos que chocar ovo por mais alguns meses até o lançamento do retorno de Thorment - provavelmente no segundo semestre.
Até o possuo em ebook, mas fã que é fã, tem que ter o livro na mão e gritar muuuuuuuuuiiiito!!!

capa americana

capa britânica

Jane Austen - Persuasão


E numa noite insone, eis que surge mais uma obra da Tia Jane...

Ficha técnica: Persuasão (Persuasion)
Autora: Jane Austen
Editora várias
Lançamento original: 1818 (obra póstuma)

Aos 19 anos Anne Elliot teve a chance de viver um grande amor. Um homem lindo, inteligente, espirituoso, que de cara combinou em tudo com a doce Anne. E apaixonaram-se perdidamente.
Mas havia um problema: ele não era nobre. Não era rico. Não tinha as conexões corretas e desejadas. E apesar de ter planos para um futuro próximo, não foram suficientes para convencer a família de Anne e sua madrinha, Lady Russel, a aceitá-lo.
O noivado foi cancelado.

Oito anos depois, o destino pregou uma peça ao fazer com que a irmã de seu ex-noivo alugasse a casa milenar na qual a família de Anne morava.
Seu pai, o Barão Elliot, era um homem orgulhoso e gastava mais do que devia. Atolado em dívidas, mas sem querer descer de seu pedestal, concordou em alugar sua casa e ir morar num lugar menos custoso.
Agora, Anne iria encontrar-se face a face com seu antigo amor. Ele fizera carreira na Marinha, era capitão e estava rico. Estaria ele casado?
Encontraram-se não uma, mas várias vezes, por terem amigos em comum, e em cada encontro Anne sofria, mas tentava manter-se de pé porque ela sabia que seu tempo já havia passado.
Até que um incidente/acidente fez cada um reavaliar a situação e pensarem na possibilidade de uma nova chance....

Bath

a famosa escadaria de Cobb, em Lyme,
 onde ocorre o acidente


Da mesma forma em que Orgulho e Preconceito poderia se chamar Primeiras Impressões (título original dele), Persuasão poderia se chamar Segunda Chance.
Durante todo o livro acompanhamos o sofrimento de Anne. Não muito admirada por sua família, mas sim por sua madrinha Lady Russel, Anne sempre é preterida nas decisões familiares.
Arrepende-se amargamente por ter cedido à pressão familiar em desistir do amor de Frederick no passado, e passa seus anos acompanhando a carreira militar dele através dos jornais. Apesar disso, não tinha certeza a quantas andava sua vida privada.
Ao ser surpreendida ao conhecer a irmã dele, e tendo certeza que mais cedo ou mais tarde iria encontrá-lo, Anne não tem qualquer esperança de uma reconciliação. Depois de anos sem nenhum contato, ela tinha certeza que ele a odiava, por ter sido fraca.
Em vários momentos, após o reeencontro dos dois, ele aproveitou a conversa entre o grupo para alfinetá-la. Dizer o quanto lastimava por pessoas com o caráter fraco. E ela não podia culpá-lo.
Somente com a convivência, ao observar as ações dela, a maneira com que ela tratava a todos e como era amada pelos amigos, ele caiu em si e entendeu a posição dela.
Depois de tantos anos, a carta na qual ele se re-declara a ela, é uma das cenas mais lindas escritas por Austen.

Muitos dizem que há muito da própria Austen na personagem Anne. Austen estava mais velha, mais madura ao escrever este romance. Assim como Anne, Austen não tinha muita simpatia por Bath. Uma pena que a autora não conseguiu ter o mesmo fim que a sua protagonista...

Uma belíssima história de amor. Um livro que nos dá a esperança da segunda chance na vida.

OBS: Há várias versões do livro em filme. A minha preferida é a de 2007 (cena abaixo). Você pode encontrá-las no YouTube.


domingo, 25 de março de 2012

Convite

Neste mês que se avizinha teremos alguns eventos para participar. Mas por enquanto vamos divulgar o que já está confirmado....


Ano passado completou 200 anos da publicação de Razão e Sensibilidade de Jane Austen. E novos aniversários se aproximam envolvendo a autora.
No mês de abril a obra que receberá enfoque será Emma.


E quem quiser participar, seja bem vindo.

sábado, 24 de março de 2012

Convocação

Em homenagem ao lançamento de livro Lover Reborn, de J.R. Ward, todas as fãs brasileiras estão convidadas a participar no Twitter.....



Francine Rivers - The Last Sin Eater


Ficha técnica: The Last Sin Eater
Autora: Francine Rivers
Editora Tyndale House Publishers
Lançamento original: 1999
Lançamento BR: ainda não
336 páginas 


Romance Cristão.
Francine Rivers tornou-se para mim uma das melhores autoras desse gênero.
Suas histórias conseguem atingir o público, sem serem piegas ou carolas demais.
Este então mostra a perspectiva de uma criança.
Cadi é uma menina doce e inteligente, que foi envolvida numa tragédia. Sua irmã menor morreu e ela acha que sua família a culpa. Em especial sua mãe que parece ter mudado seu comportamento desde a tragédia. Somente sua avó a compreende e dá-lhe conforto.
Mas até sua avó se vai, e no enterro dela Cadi conhece o Comedor de Pecados. A partir daí começa sua peregrinação em encontrar este homem, que é o único que pode, até então, acalmar-lhe o espírito.
No meio do caminho, entretanto, aparece um pastor, e com ele, a palavra sobre Jesus Cristo. Mas ele não é bem vindo à aldeia, pois, pode fazer com que pecados passados sejam expostos, mudando a vida de todos que ali residem....

Algumas partes da história são tensas. Fiquei imaginando todo o fardo que aquela criança carregava, tentando encontrar uma solução para a dor de tantas pessoas, mas  ao mesmo tempo é gostoso de ver como tudo se encaixa.
Uma história belíssima.
Há um filme sobre o livro que foi traduzido como "O Último Espírito". O filme é bom, mas não gostei do título. Desde o início achei o título original muito mais pertinente à história.

#leituranossadecadadia

  • Toby Devens - Minha Crise de meia idade Favorita (Bertrand Brasil)
  • Stephanie Laurens - O Preço do Amor (Sedna)
  • Chico Anysio - O Enterro do Anão (Sabiá)

Elizabeth Hoyt - [Trilogia dos Príncipes] O Príncipe Corvo


Ficha técnica: O Príncipe Corvo (The Raven Prince)
Autora: Elizabeth Hoyt
Editora Grand Central Publishing
Lançamento original: 2012
Lançamento BR: ainda não
400 páginas

Primeiro livro da trilogia dos príncipes, o romance histórico de Elizabeth Hoyt cativa.
Resumo:

"Edward do Raaf, conde de Swartingham, precisava com urgência de um secretário que organizasse suas caóticas finanças. O problema é que, com seu mau humor, espantava todos os candidatos. Para Anna Wren esse emprego é a solução para seus problemas, depois de enviuvar de um marido infiel e ficar na ruína.
A atração entre ambos fica patente desde o primeiro momento, embora Edward não pareça muito disposto a se deixar levar por ela. Quando Anna descobre que o conde frequenta um conhecido bordel de Londres, decide pôr em ação um plano ousado. Veste-se como uma prostituta mascarada para seduzir Edward. Porque, no jogo da sedução, não existem regras... Ou existem?"

A história fascina porque apesar de possuir os ingredientes comuns de um romance histórico (um dos protagonistas rico, o outro não), diverte a partir do instante em que você percebe que a vida de Edward não foi tão fácil. Com o corpo e rosto marcados pela varíola, mesma doença que dizimou sua família, ele tem consciência que não é um homem desejável. E tudo isso só o fez ficar mais amargo e de difícil trato. Mas ele precisava de alguém que não o temesse, que o enfrentasse de igual para igual, mesmo que esta pessoa tivesse tudo a perder.
As cenas hot são um bônus a parte na história.

 a capa da edição de Portugal 

Como disse o livro faz parte de uma trilogia. E cada livro tem como pano de fundo uma fábula. No livro 1 a fábula é contada em pequenos trechos no começo de cada capítulo. Nos outros 2, as fábulas fazem parte da história, sendo contadas por um dos personagens.
Dos 3 livros achei o primeiro o melhor. Considerei o enredo com uma consistência melhor, apesar que, acredito eu, muitas pessoas podem gostar dos 3 igualmente.
A autora tem outros títulos publicados, mas nenhum no Brasil.



#leituranossadecadadia

  • Jo Ann Ferguson - Nos Braços do Sheik (Nova Cultural)
  • Jo Ann Ferguson - Conflito de Paixões (Nova Cultural)
  • Jo Ann Ferguson - A Magia de um Beijo (Nova Cultural)

quarta-feira, 14 de março de 2012

De Primeiras Impressões a Orgulho e Preconceito: Quer casar comigo?


É interessante como um livro com quase 200 anos ainda consegue atingir a tantas pessoas. Não só porque essas pessoas leem o livro. Isso se chama distribuição. Mas porque elas são afetadas por ele.
Sei que muitas pessoas não gostam de Jane Austen ou de seu gênero literário - o romance histórico - mas é inegável que seus livros, em especial Orgulho e Preconceito, é um dos clássicos mais lidos e admirados da literatura inglesa.

Falando sobre as primeiras impressões que damos a alguém, e consequentemente temos desse alguém, o livro nos traz a história de famílias provincianas, que vivem num vilarejo, com seus hábitos nem sempre admirados pelos que viviam nas cidades, Londres, que era o centro de tudo na época, e da chamada alta sociedade.
A família de Elizabeth, os Bennet, eram considerados rudes, estranhos, falantes, até mesmo aproveitadores, pelo simples fato de que sua mãe, a meu ver a pior de todas, alardeava para quem quisesse ouvir sobre as qualidades de suas filhas. Principalmente quando Jane, a mais velha, começou a receber a corte da parte de um cavalheiro rico.
Jane e Elizabeth se destacavam dentre as irmãs, mas como separar o trigo do joio com uma mãe tão falante e irmãs caçulas tão indecorosas?


Lembremos que para a época isso era o natural, tentar casar bem as filhas e, assim, assegurar o futuro de todos. E no caso dos Bennet não havia um varão, mas 5 filhas que deveriam se casar.

O fato é que gostando ou não deste livro, Elizabeth Bennet era a heroína preferida da própria Austen (e modelo para várias moças de diferentes gerações) e Mr. Fitzwilliam Darcy o cavalheiro mais desejado por elas...



Acabei de assistir a um documentário sobre o livro, e achei incrível comprovar como escritores foram influenciados por esse clássico de Austen.
A dublagem deixa um pouco a desejar (algumas vozes são enjoativas), mas há vários trechos do filme, cartas escritas pela própria Austen e explicações de uma era que para nós parece tão estranha.
Quem é fã da autora vai gostar de conhecê-la um pouco mais. E quem não é, talvez se entusiame em começar a ler algo dela.

Aproveite o show! 


Raymond Khoury - O Santuário


"O último inimigo que há de ser aniquilado é a Morte."
1 Coríntios 15:26

Ficha técnica: O Santuário (The Sanctuary)
Autor: Raymond Khoury
Editora Agir
Lançamento original: 2007
Lançamento BR: 2008
469 páginas

Uma arqueóloga é sequestrada e tudo leva a crer que ela está metida em contrabando de artefatos antigos. Entretanto, algumas pessoas acreditam em sua inocência.
Evelyn Bishop passou anos de sua vida pesquisando sobre o URÓBORO (o símbolo da cobra engolindo o próprio rabo), e quando finalmente o livro sagrado do uróboro está prestes a cair em suas mãos, tudo dá errado.
A filha de Evelyn, Mia, com a ajuda da embaixada americana, envolvem-se numa caçada.
Os inimigos não têm dó, nem piedade, e executam quem quer que esteja em seu caminho até mesmo à luz do dia.


Sendo um livro contemporâneo e ainda arqueológico, não espere muitas cenas de ação. Elas existem e são bem descritas, mas você deve se deixar envolver mais pelo enredo em si.
Tudo leva a crer que esse símbolo e o tal livro sagrado levam para algo que o homem busca há muito tempo. Ditadores (leia-se Hitler, Saddam Husseim...) financiaram pesquisas e mataram inocentes em busca dela: a vida eterna. Quando, segundo o livro, ela estava ali, tão perto...

Tempo para aprender, para estudar, para trabalhar, para apreciar, para amar...E como dizia Caetano, "tempo tempo tempo tempo, és um dos deuses mais bonitos..."

Se você gosta de arqueologia, taí uma boa pedida.

#leituranossadecadadia

  • Lisa Valdez - Passion
  • Lisa Valdez - Patience
  • Gayle Wilson - [Sinclair 2] Sonhos Secretos (Nova Cultural)
  • Gayle Wilson - [Sinclair 3] A Dama Espanhola (Nova Cultural)


AutoAjuda Divertida #2

Logo no início das postagens do blog falei sobre a utilidade dos livros de auto ajuda. E o melhor de tudo, você não precisa ler esse gênero como quem vai para o próprio funeral. Há vários exemplos de auto ajuda que, enquanto ajudam (principalmente ao escritor, que fica cada vez mais rico!), divertem.

Um bom exemplo são os 2 livros citados abaixo. Ambos têm algo em comum, o escritor.
Greg Behrendt trabalhou na série Sex and the city. Ele tem umas tiradas maravilhosas e sabe pisar no calo, fazendo doer, mas, ao mesmo tempo, nos levando à reflexão. O que já é um bom começo para nos levar  à ação, certo?


Ficha técnica: Ele simplesmente não está a fim de você - entenda os homens sem desculpa (He's not that into you - the no-excuse truth to understanding guys)
Autores: Greg Behrendt & Liz Tuccillo
Editora Rocco
Lançamento original: 2004
Lançamento BR: 2005
170 páginas

Meninas, não têm como dourar a pílula. Os sinais estão lá, claros como água cristalina. Mas por que mulher tem que ser bicho burro? 
Arrumamos desculpas, ficamos esperando telefonemas que nunca acontecem, passamos por cima dos "defeitinhos", fazemos mudanças radicais na maneira de vestir, no corte do cabelo, na cor dos esmaltes....
E eles? Se não estão a fim, continuam não a fim. Quer um exemplo?

"Os homens dizem o que estão sentindo mesmo quando você se recusa a escutar ou a acreditar neles. 'Eu não quero ter um relacionamento sério' na verdade significa 'Eu não quero ter um relacionamento sério com você', ou 'Não tenho certeza se você é a mulher certa para mim' (sinto muito).
Melhor do que nada não é o bastante para você!
Se você não sabe para onde está indo o relacionamento, pode parar no acostamento e perguntar que rumo a coisa está tomando.
Indefinido? Não serve.
Tem um cara por aí que vai querer dizer para todo o mundo que é seu namorado. Pare de marcar bobeira e vá ao encontro dele."

Muito forte para você? Então senta porque tem conselhos muito piores....ou melhores, já que na verdade ele te assusta para depois levantar sua bola e mostrar que há algo melhor lá fora. Não se contente com zero. Pior, zero à esquerda. E cortado no meio.

O livro fez tanto sucesso que virou filme, com um elenco estelar.


Mas aí você encontrou o cara, ficaram um tempo juntos, viveram uma tórrida paixão, mas a história começou a mancar. Terminar e ficar sozinha? Por quanto tempo? E se outro demorar muito a chegar? Não é melhor ir aguentando até que uma oportunidade melhor (leia-se melhor partido) apareça?

Minha amiga, em alto e bom som:


Alguma dúvida do que se trata?

Ficha técnica: Quando Termina é Porque Acabou - juntando os caquinhos e dando a volta por cima (It's called a breakup because it's broken)
Autores: Greg Bhrendt & Amiira Ruotola-Behrendt
Editora Rocco
Lançamento original: 2005
Lançamento BR: 2006
254 páginas

A arte de tomar um pé na bunda. Este também poderia ser o título do livro. Porque tem certas pessoas que simplesmente não sabem ver quando o relacionamento acabou. E insistem, e choram, e apelam, e chantageiam, e ameaçam, e se matam. Um inferno!
Nesse livro ele e a esposa criaram um perfeito manual. Você tem como identificar o seu tipo de "sabotador" de término de relacionamento, e pode, inclusive, fazer anotações, numa espécie de exercícios, pois, a prática leva à perfeição.
Ah! Mas não se preocupe.Você vai se encaixar em algum(uns) ponto(s) mas nada que chegue a querer cortar os pulsos. Até porque o bom da terapia via livro é que o preço é fixo (você só paga uma vez pelo livro) e ninguém mais tem acesso às suas vergonhas. Dá para rir e chorar sem testemunhas. E dá para dar uma guinada em sua vida também.
No mínimo você vai se divertir com os casos relatados no livro.

Só uma dica: por via das dúvidas NÃO leia o livro próximo a um penhasco, ponte, janela de apartamento......

#leituranossadecadadia

  • Celia May Hart - Ensina-me
  • Gayle Wilson - [Sinclair 1] Uma Mulher de Coragem (Nova Cultural)
  • Mary Nichols - Fronteiras da Paixão (Nova Cultural)
  • Julie Tetel - A Noiva do Guerreiro (Nova Cultural)



terça-feira, 13 de março de 2012

Caris Roane - Ascension Series


E mais uma vez venho falar de uma saga que AINDA não está disponível no país (pelo menos se depender de mim já estou enchendo o saco de algumas editoras pra comprarem os direitos dessa série).
Você gosta de Literatura Fantástica? Já leu a Irmandade da Adaga Negra? Gosta de personagens fortes, decididos, mandões, guerreiros, que pegam a mulher de jeito,mas ao mesmo tempo ficam maluquinhos quando estão perto das companheiras? Então você PRECISA ler esta saga.

A impressão que dá é que a autora, uma apaixonada por histórias de vampiros guerreiros, quis dar asas à sua imaginação e criar sua própria saga. E eu te digo que ela não fez feio.

VAMPIRO. GUERREIRO. LENDA. AMANTE.

Ficha técnica: Ascension
Lançamento original: 2010
Lançamento BR: ainda não
Editora St.Martin's Paperbacks 
469 páginas.

"Alison Wells não era uma mulher qualquer. Nascida com super poderes, ela nunca poderia fazer amor sem que colocasse a vida do homem em perigo. Mas quando seus poderes revelam um glorioso homem musculoso, surgido em suas asas celestiais, ela sente uma atração incontrolável, na qual não consegue resistir - em especial quando ele lhe diz 'Eu vim te buscar. Seu sangue me pertence.'
Kerrick é um vampiro e um guerreiro que lutou 200 anos atrás pelo amor de uma mulher. Como um Guardião da Ascensão ele jurou proteger Alison da Brigada dos Vampiros Mortais, que procura por seu sangue e seus poderes. Mas Kerrick tem suas próprias lutas - sua própria proibição em abrir seu coração e veias para Alison. Compartilhar seu sangue...satisfazer sua sede...e selar seus destinos eternamente."

Alison com seus poderes, está prestes a ascender. Mas durante os primeiros dias ela ficaria extremamente vulnerável a seus captores, a Brigada dos Vampiros Mortais, por isso, ela precisa ser protegida por um dos Guardiões. Mais do que ser uma mulher habilidosa, Alison traz consigo o cheiro que pode colocar a perder toda a determinação de Kerrick, e colocar todos os habitantes da Segunda Terra em perigo....

UNIDOS PELO AMOR. E PELA GUERRA.


Ficha técnica: Burning Skies
Lançamento original: 2011
472 páginas

"Um guerreiro vampiro no exílio, Marcus resiste ao chamado de voltar  à posição de Guardião. Aqui, na Terra Mortal, Marcus tem uma outra batalha para travar - a sedutora Havily Morgan. A mulher significa muito para ele. Seu sangue o chama. A mulher que o chama em seus sonhos e exige que ele se renda..
Uma imortal bela com extraordinários poderes, Havily vive na esfera da Segunda Terra mas, em suas íntimas fantasias, ela clama pelo amor de Marcus. Em breve seu vínculo os colocará num teste fatal. Quando seus inimigos sedentos por sangue queimm os céus com suas armas resplandecentes. Então, Marcus e Havily terão que unir forças, corpo e alma, para desencadear a força de sua paixão - lutando fogo contra fogo..."

São guerreiros poderosos, são vampiros, têm asas. São passionais, fortes, teimosos, corajosos, apaixonados e apaixonantes.
Diálogos engraçados, cenas de ação bem montadas, enredo digno de um filme. Há tudo nesta saga para que você se apaixone, e para tornar-se um sucesso tão grande quanto a Irmandade já está fazendo no país.
Recomendado pelas escitoras LARA ADRIAN e GENA SHOWALTER.
Deixe-se ser mordida por eles também.

**Ao som de "Gimme,Gimme,Gimme (a man at midnight)", com Amanda Seyfried, versão Mamma Mia
http://www.youtube.com/watch?v=W5ceeeOxd1o

Sherrilyn Kenyon - Amante da Fantasia (Saga Dark Hunter)


Ficha técnica: Amante da Fantasia - Julian da Macedônia [Saga Dark Hunter] (Fantasy Lover)
Autora: Sherrilyn Kenyon
Editora Novo Século
Lançamento original: 2002
Lançamento BR: 2012
334 páginas

Literatura Fantástica.
Dez anos!!! Foram exatos 10 anos que nós, leitoras brasileiras, precisamos esperar para ter em mãos, no nosso próprio idioma, o primeiro exemplar da Saga Dark Hunter. Acredite se quiser.

Mas o que/quem são os Dark Hunters? Basicamente eles são compostos por guerreiros antigos. Toda uma gama de lendas romanas, gregas, célticas, e muito sobrenatural, fazem parte deste roteiro. Os guerreiros, que em suas vidas originais tiveram uma morte inglória, têm a chance de retornar e vingarem-se.
O primeiro volume da  série traz a história de Julian da Macedônia. Um antigo general, teve sua vida totalmente destruída por uma traição. Perdeu mulher e filhos e agora encontra-se preso num livro, e deve servir como escravo sexual por um mês à mulher que o convocar na lua cheia. Chato, não? Bom, talvez não para a mulher que o convoca, mas imagine-se fazendo isso noite após noite, após noite, após noite....durante séculos, sendo visto apenas como isso: um objeto. E ao término, você volta para as páginas amareladas de um antigo livro, no escuro, sem poder sair por conta própria, apenas escutando tudo à sua volta.....


A vida de Julian parece começar a fazer sentido apenas quando ele se depara com Grace Alexander, uma psicóloga que quer ajudá-lo a se livrar dessa maldição, mas acaba envolvida numa guerra entre deuses do Olimpo.

Amante da Fantasia é um livro divertido. Claro que a  escritora nos prestou um favor ao rechear algumas páginas com cenas bem hots, mas o livro tem um enredo envolvente e argumentos inteligentes. E o melhor, para quem gosta, com o passar da série você aprende muito sobre lendas antigas.
Isso sem contar que há outros tipos de personagens principais. A princípio nos deparamos com os deuses ou semi-deuses, conforme explicado acima. Mas mais pra frente há os dream-hunters (aqueles que podem habitar sua mente, seus sonhos) e os were-hunters (que são humanos que se transformam em animais ou vice-versa). A explicação é louca e divertida ao mesmo tempo. E ainda há histórias em que vários deles se encontram, por isso o ideal  é que a leitura seja feita na ordem, pra que você não se perca sobre quem é quem, e quem fica com quem.

No site da autora você encontra a listagem da saga, e ainda fotos, bonecos, filmes, tudo relacionado à saga, que é uma das mais acompanhadas nos Estados Unidos (www.sherrilynkenyon.com).

A listagem original encontra-se abaixo (isso significa que ainda temos um loooooongo caminho a percorrer...):

  1. Fantasy Lover (February 1, 2002) (Julian and Grace)
  2. Night Pleasures (September 1, 2002) (Kyrian and Amanda)
  3. Night Embrace (July 1, 2003) (Talon and Sunshine)
  4. Dance with the Devil (December 1, 2003) (Zarek and Astrid)
  5. Kiss of the Night (April 4, 2004) (Wulf and Cassandra)
  6. Night Play (August 3, 2004) (Vane and Bride) [Were-Hunter Series]
  7. Seize the Night (December 28, 2004) (Valerius and Tabitha)
  8. Sins of the Night (June 28, 2005) (Alexion and Danger)
  9. Unleash the Night (December 27, 2005) (Wren and Maggie) [Were-Hunter Series]
  10. Dark Side of the Moon (May 30, 2006) (Ravyn and Susan) [Were-Hunter Series]
  11. The Dream-Hunter (February 6, 2007)(Arik and Geary) [Dream-Hunter Series]
  12. Devil May Cry (July 31, 2007) (Sin and Kat)
  13. Upon The Midnight Clear (October 30, 2007) (Aidan and Leta) [Dream-Hunter Series]
  14. Dream Chaser (February 5, 2008) (Xypher and Simone) [Dream-Hunter Series]
  15. Acheron (August 4, 2008) (Acheron and Soteria)
  16. One Silent Night (November 25, 2008) (Stryker and Zephyra)
  17. Dream Warrior (February 3, 2009) (Jericho and Delphine) [Dream-Hunter Series]
  18. Bad Moon Rising (August 4, 2009) (Fang and Aimee) [Were-Hunter Series]
  19. No Mercy (September 7, 2010) (Dev and Samia) [Were-Hunter Series]
  20. Retribution (August 2, 2011) (Sundown and Abigail)
  21. The Guardian (November 1, 2011) (Seth and Lydia) [Dream-Hunter Series]
  22. Time Untime (Expected August 12, 2012 according to author's official site) (Ren and Kateri)


Se a editora Novo Século investir em marketing e não relaxar na diagramação e nas belas capas, ela tem tudo para ter um belo tesouro nas mãos. E nós, leitoras, agradecemos esse presentinho em forma de livro.


**Ao som de "Sexyback", com Justin Timberlake
http://www.youtube.com/watch?v=-oqXwnXjgDE

segunda-feira, 12 de março de 2012

William Deresiewicz - Aprendi com Jane Austen


Ficha técnica: Aprendi com Jane Austen - como seis romances me ensinaram sobre amor, amizade e as coisas que realmente importam (A Jane Austen Education - how six novels taught  me about love, friendship, and the things that really matter)
Autor: William Deresiewicz
Editora Rocco
Lançamento original:  2011
Lançamento BR:  2011
255 páginas


Eis um livro que bateu comigo.
Não, eu não conhecia o autor, e apesar de ele parecer ser uma garotão mimado, que precisou levar muita bordoada na vida pra finalmente se transformar num adulto, a forma na qual ele transmite tudo isso é de uma sinceridade sinistra.
Dentro do possível ele não esconde nada. Inclusive sua total antipatia por Jane Austen. 
Sim, ele DETESTAVA Jane Austen, mesmo sem nunca tê-la lido. O velho chavão....

Mas ele estudava Literatura e fora obrigado a ler um livro dela.
Não foi instantâneo, não foi amor à primeira vista, mas paulatinamente ele se deixou fisgar pela escrita dela. E da leitura de um livro, ele decidiu ler todos. E várias vezes.

O livro é dividido em lições. Como Jane Austen só terminou 6 livros (escreveu pequenos contos que não ficaram famosos como esses seus livros, deixando um livro inacabado), cada capítulo é dedicado a um livro, tendo sua correlação com a fase de vida do escritor.

De Emma ele ressalta a importância do cotidiano; de Orgulho e Preconceito, o amadurecer; de A Abadia de Northanger, como aprender a aprender; de Mansfield Park, a qualidade em ser autêntico; de Persuasão, a identificar os verdadeiros amigos; de Razão e Sensibilidade, o apaixonar-se. Um capítulo e um novo degrau em sua vida mimada e sem perspectivas.

Houve momentos engraçados durante a leitura, como quando não concordei com algumas tiradas dele, ou quando concordei demais, como foi o caso de Mansfield Park. Eu e ele concordamos que Fanny era chata demais! (ver postagem anterior sobre o livro em questão).

Para quem já leu todos os livros dela é uma delícia essa revisita através de olhos estranhos. Mas também serve para quem nunca os leu. Claro que ele comenta sobre as histórias, mas de uma maneira que dá vontade de lê-los, ou seja, ele não nos inunda de spoilers.

Talvez você pense: o que posso ter a aprender com uma mulher do século retrasado, que morreu solteirona, virgem e pobre e só conseguiu escrever 6 livros em toda vida?
Bom, quanto a escrever "só" 6 livros, é mais do que eu já escrevi (zero!). E quanto ao resto, só julgue o que você conhece. Pode-se até não gostar de romances históricos, ou pode-se dizer que os livros dela são um tanto monótonos, sem cenas de ação ou hot (cenas de sexo. Entretanto, se você está familiarizado com leitura da época saberá identificar algumas insinuações sexuais...), mas não se pode dizer que os livros de Austen não têm conteúdo. Eles são do tipo ame-os ou deixe-os, mas nunca mornos.
Ouse um pouco e saia de sua zona de conforto, se você é do tipo que só lê um gênero literário. Aí, sim, depois disso, venha me dizer porque não gostou do jiló.


#leituranossadecadadia

  • Deborah Hale - A Bela e o Barão (Nova Cultural)
  • Elizabeth Bailey - Amor Inocente (Nova Cultural)
  • Kate Donovan - Caminhos do Desejo
  • Judith Stacy -  Escrito nas Estrelas (Nova Cultural)

*Gravura Edmund Blair

sábado, 10 de março de 2012

E teve mais aniversário!!!!!

Depois de uma certa idade a gente não comemora mais aniversário em um único dia. O fato de estarmos bem de saúde, de grana, de trabalho, de amizades, de tantas coisas....nos faz querer transbordar o dia, e, de preferência querer passá-lo com os amigos mais chegados.
Já tive uma postagem aqui sobre o niver, mas esta semana também comemorei com amigas queridas, Amigas que tem tudo haver com livros, já que nos conhecemos através do grupo SKOOB e transcendemos a amizade para outros momentos.
Aqui um pedacinho do dia divertido.
Obrigada a vocês que fazem minha data ser tão especial.
Bj a todas (os)!!

tarde no museu

um cafezinho pra terminar bem o dia

tarde cultural. Vale o passeio

almoço entre amigas

É claro que ainda tem mais. Livros que estou ganhando, ecobags... Mas isso fica pra uma próxima postagem. ;)

Kim & Krickitt Carpenter - Para Sempre, a história que inspirou o filme


Ficha técnica: Para Sempre - a história que inspirou o filme
Autores: Kim & Krickitt Carpenter, colaboração de Dana Wilkerson
Editora Novo Conceito
Lançamento original: 2012
Lançamento BR: 2012
144 páginas

História real. Ponto. Só isso já dá um friozinho na espinha.
Tudo acontece tão rápido e, ao mesmo tempo, leva-se tanto tempo para que tudo volte ao lugar....mas será que volta?

Um casal apaixonado, casado há apenas 2 meses, sofre um acidente, e apesar de ele ficar bem machucado, é com ela que tudo de pior acontece. Seus ferimentos são profundos, ela fica irreconhecível de tão inchada e com hematomas. E no final ainda há a amnésia. Parcial. Ela só esquece sobre ele. Seria cômico se não fosse trágico. Um perfeito enredo hollywoodiano.

Isso aconteceu em 1993, na época da comemoração do Thanksgiving.
Ter de lidar com seguros, contas hospitalares, perda de trabalho, amnésia. Enlouquecedor.
Mas ao mesmo tempo surpreendente porque o final da história traz verdades há muito esquecidas.
Família, amigos, a equipe hospitalar e a de recuperação, tudo fez diferença nesse caso. 
Mas o mais importante: a perseverança em manter o casamento,não apenas pela palavra dada, mas pelo sentimento, foi a chave principal.

O livro original foi lançado em 2000. O casal ficou famoso, concedendo entrevistas pelos principais meios de comunicação do país, desde 1999 os direitos para a filmagem foram cedidos, mas só este ano, 2012, em fevereiro (mês dos namorados norte americano) o filme foi lançado. Aqui no Brasil só o segundo livro, já baseado no filme, chegou. Tanto que a capa é o cartaz do filme (coisa que não gosto muito, mas vou dar uma chance dessa vez porque gosto de Rachel MacAdams).

livro original de 2000

Um livro que vale a pena ler. Para quem gosta de histórias reais, para quem gosta de romance, para quem precisa revalidar a fé na vida, para quem até não precisa de nada. Só leia...

#leituranossadecadadia

  • Anne Gracie - A Princesa Roubada
  • Deborah Raleigh - Irresistível Tentação (Nova Cultural)
  • Tracy Macnish - Desejos Ocultos (Nova Cultural)
  • Barbara Neil - Sissi, a incrível senhorita (Nova Cultural)

terça-feira, 6 de março de 2012

Encontro Clã Amantes da Adaga Negra


No último dia 03 tivemos um encontro maravilhoso, o meu segundo em relação aos "irmãos" com fãs da saga Irmandade da Adaga Negra.
O encontro foi organizado pelo Clã Amantes da Adaga Negra e aconteceu na Livraria Nobel do NorteShopping (by the way, a equipe da livraria foi super legal com a gente e cedeu um espaço super especial. Fica aqui o agradecimento ;).


Não contei quantas pessoas estavam presentes, mas chegou uma hora em que a livraria abarrotou. Foi muito legal!!! Todos confraternizando, ajudando aos que eram sorteados pra participar do quiz, uma gritaria, mas tudo tão divertido...Foi como voltar à velha infância.

no comecinho, o pessoal ainda chegando...


... depois a animação da galera

Foram vários os brindes sorteados e distribuídos entre os presentes:

marcadores

livros e ecobags

a amiga que nunca leu a saga ganhou sua 1ª "mordida"

As apresentações tiveram a ajuda do sr.powerpoint...


E tudo regado a muito bom humor e simpatia das organizadoras.


Um ótimo momento de rever velhos amigos e fazer novos ;)

a turma que se apossou do tapete rsrsrs...

Enfim, uma tarde gostosa, cheia de brincadeiras e amizades, mas que, acima de tudo, dá valor a uma boa literatura. E quem disse que a gente tem que ser sisudo pra gostar de ler??